25 junho, 2012

"Deus dá com uma mão e tira com a outra."

Será mesmo essa a lei da vida? Transcende-me pensar em tudo isto. Há verdades que nos doem tão forte, que nos apertam o coração e nos fazem duvidar de tudo. Fé que se sente abalada. Realidade que não se quer aceitar. Parece tudo ainda tão irreal, como se de um pesadelo não passasse. Mas nesta anestesia que se vive ainda, sinto-te já tanto a falta. Sabes que te gosto de coração inteiro e de alma preenchida. Sabes que te trago atracada ao coração numa eternidade que o há-de ser a sério. Ainda ontem nos abraçavamos e eu te dizia o quanto era bom ter-te por perto. Sinto-te agora aqui, ao meu lado. A gozar com a minha lamechice, mas depois tu próprio a ficares comovido com ela, já que de forte pouco tinhas. E era esse teu jeito meigo que me fazia querer-te tão bem. Esse teu sorriso malandro nos momentos mais inusitados. As piadas acutilantes que tão bem aplicavas. O mimo com que me brindavas quando decidias dar-me só mais um abraço. O deixares-me envergonhar-te quando te chamava Helderinho.

Fica a paz de não te ter faltado nunca. De ter sempre tempo para ti. De não ter deixado nada por dizer. Nenhum abraço por dar. Nenhum sorriso por partilhar.

Não penses agora que te livras de mim. Não assim tão facilmente. Levar-te-ei comigo para onde for e tenho tanto mundo ainda para te mostrar...



*Viste o balão que enviamos para ti? :)
**Fiquem estes sorrisos como eternos.

1 comentário:

mãedesaltosaltos disse...

Que saudades! Manda-me a nossa foto, não tenho :(... beijinhos